domingo, 2 de maio de 2010

Paulo na sua doença

Gal 4, 13-14

«Mas sabeis que foi por causa de uma doença corporal que vos anunciei o Evangelho pela primeira vez. Embora o meu corpo fosse para vós uma provação, não reagistes com desprezo nem nojo. Pelo contrário: recebestes-me como um anjo de Deus, como a Cristo Jesus.?»

Quando olhamos para está pequeno exerto da carta aos Gálatas apercebemo-nos que Paulo não teria a intenção de evangelizar a Galácia. O seu objectivo não era aproximar-se do interior mas sim das costas do mar Egeu.
O que nos é revela-do é chegou lá, pelos vistos, por motivos de saúde. Paulo está doente e chega à Galácia doente. Ele sente-se na fraqueza, debilitado, diminuído, que não se pode apresentar. Conhece, porém um acolhimento da parte dos Gálatas.
Que tipo de doença era? Podemos colocar uma hipotese de ser oftalmológica (por falar em que eles estão dispostos a arrancar os olhos, porém pode ser uma simples doença). A doença aparece num momento duro da vida de Paulo. O conflito em Damasco, deixa paulo numa situação difícil. Era lá que ia desempenhar pela primeira vez a autoridade de chefe de missão. Porém fica doente fisicamente e ao mesmo tempo espiritualmente, pois além de ser momento de extrema fraqueza, é também de questionamento. Depois da luta toda que Paulo teve, é a sua própria saúde que o atraiçoa.
Parém acontece uma surpresa total no encontro com os Gálatas. A maior surpresa de Paulo é que os Gálatas se converteram. No extremo da sua fraqueza, onde seria imprevisível e não suposto a evangelização, eles convertem-se. Assim, dedus que o Evangelho não está presente na força, na sua eloquência. Aquele que não tinha qualquer atractivo humano, torna-se o lugar da conversão.
Os Gálatas surpreenderam Paulo com esta alegria,mostrando-lhe que Deus actua inversamente, ao contrário, manifesta a força na fraqueza.

Sem comentários:

Enviar um comentário